segunda-feira, 2 de junho de 2014

Resenha: Cidade dos Ossos, de Cassandra Clare


Ótimo
Editora: Galera Record
Páginas:459
Tradutor(a): Rita Sussekind


Sinopse: Um mundo oculto está prestes a ser revelado... Quando a jovem Clary decide ir para Nova York se divertir numa discoteca, ela nunca poderia imaginar que testemunharia um assassinato - muito menos um assassinato cometido por três adolescentes cobertos por tatuagens enigmáticas e brandindo armas bizarras. Clary sabe que deve chamar a polícia, mas é difícil explicar um assassinato quando o corpo desaparece no ar e os assassinos são invisíveis para todos, menos para ela. Tão surpresa quanto assustada, Clary aceita ouvir o que os jovens têm a dizer... Uma tribo de guerreiros secreta dedicada a libertar a terra de demônios, os Caçadores das Sombras têm uma missão em nosso mundo, e Clary pode já estar mais envolvida na história do que gostaria.

***
Ler YAs é uma coisa que eu não gosto muito de fazer. Sim, confesso que já fui completamente viciado nesse gênero, mas hoje, ele pouco me interessa. O motivo disso é simples: histórias assim sempre são cheias de draminhas e mi-mi-mis. Os personagens principais costumam ser ignorantes e egocêntricos, sendo "a chave para tudo dar certo" e todo esse tipo de chichê. Não há mais originalidade no ramo dos YAs; acho que os únicos livros que eu gosto dessa área são Harry Potter e Jogos Vorazes. Só.

Entretanto, eu não posso negar que Cidade dos Ossos foi um bom entretenimento. É um livro rápido, fácil e cheio de acontecimentos inusitados. Não escapa de alguns clichês, mas as qualidades da história conseguem ofuscar esse defeito de alguma maneira. 

A autora, Cassandra Clare, faz uso de terceira pessoa, que é, na minha opinião, a melhor forma de narrativa: sem muito sentimentalismo, sem muita divagação... apenas a história, e a sua fluidez. E combina muito bem para Cidade dos Ossos: temos ação, mistério, aventura, tudo de uma vez só. Essa combinação de sensações é descrita de forma sagaz pela autora, dosando cada parágrafo na medida certa.

Os personagens são muito bons também. Cada um tem a sua personalidade devidamente definida, sem excessos ou coisa do tipo. Sempre armados com seu sarcasmo infalível, eles garantes boas risadas durante a leitura e mantêm você preso nas páginas até o fim da história.

Porém, devo dizer que me incomodou um pouco o fato de que o livro lida com essas criaturas batidas, como vampiros, bruxos, lobisomens e etc. Parece que a Cassandra Clare resolveu misturar tudo o que já fez sucesso no mundo da ficção e colocou tudo numa mesma história, já sabendo que tudo isso daria um bom dinheiro. Sinceramente, acho que essa vai ser a última série de fantasia adolescente que eu leio kkk. Chega um certo ponto que você enjoa de tudo e começa a achar que qualquer coisa é clichê (e talvez seja mesmo).

Modismos à parte, Cidade dos Ossos é um começo promissor para a série Os Instrumentos Mortais. Espero grandes feitos da autora em relação aos próximos livros, e que, por favor, eles não fiquem piores a cada lançamento, como é o caso de quase todas as séries YAs atuais.

*** 

P.S.: Sei que já foram lançados todos os livros restantes, mas não garanto que eu vá lê-los tão rápido.


2 comentários:

  1. Oi, Fábio!
    Ai, adorei sua resenha! Eu às vezes sinto o mesmo com alguns tipos de leitura. Aquela mesmice, aqueles clichês, nada de novidade. Você disse que já leu bastante coisa do gênero. Talvez seja amadurecimento como leitor mesmo! E isso é sensacional!
    Bom, eu tinha interesse em ler essa série. Acho que vou repensar, hahaha!
    beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Lia! Criatividade está em baixa hoje em dia, mas Cidade dos Ossos não chega a ser ruim por causa disso. Enfim, obrigado por ser a primeira pessoa a comentar aqui no blog ashuashua!

      Excluir